Trabalho, amor e planejamento...

quarta-feira, maio 01, 2013


Hoje olhei no face essa imagem, com a frase: "Um belo dia resolvi mudar e fazer tudo o que eu queria fazer!" Então eu vim aqui, nesse feriado do Dia do Trabalho, pra conversar um pouquinho com vocês.... 

O que vocês fazem da vida? Falo profissionalmente. Eu sou técnica de laboratório de eletrônica numa Universidade e faço faculdade de Ciência da Computação. Isso faz algum sentido pra você? Pois eh, pra mim também não! A vida foi me levando por caminhos que em algum momento tinha razão, agora não mais... Entretanto, a gente não pode sair mudando tudo o tempo todo, abandonar carreiras e fazer o que ama, afinal de contas, as contas chegam todo mês não eh? Mesmo assim não é impossível mudar de vida, abandonar carreiras e fazer o que ama. Só é necessário um planejamento prévio. Pode levar dois anos, ou três, mas se for planejado, é possível trocar de barco sem se molhar.

E quando você tem um emprego muito estável (tipo servidor público =), e mesmo assim você tem vontade todos os dias de abandonar tudo? Muitos chamarão essa pessoa de louca! Eu sei, não é fácil entender esse processo. Mas eu costumo me basear em uma outra frase de Confucio, que vi por aí, que diz: "Escolha um trabalho que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida." Apesar disso parecer impalpável, é totalmente possível, e não importa sua idade, classe social ou nível de instrução... Nunca é tarde pra mudar. 


Então vou dar uma dica, para começar a pensar nesse planejamento. Pegue um papel e rabisque três círculos... coloque em cada um deles: 1- Coisas que eu gosto de fazer, 2- Coisas que as pessoas me pagariam pra fazer, 3- Coisas que eu sei fazer bem. A ideia é listar todos os nossos dotes, hobbies, atividades que costumamos fazer... Faça listinhas ao lado do gráfico com todas as atividades possíveis. Você vai perceber que muitas atividades estarão em duas listas, e outras em três listas. Marque essas e pense, se imagine fazendo alguma coisa daquela. Imagine as pessoas te pagando, e te reconhecendo em algo que você adora fazer! E esse é o trabalho dos sonhos... Talvez algo relacionado a isso!

Façam essa brincadeira, você vai descobrir muito sobre você... eu já fiz, e como disse: Daqui há pouco tempo me chamarão de louca! Mas faz parte! =}

Feliz dia do trabalho, do trabalhador... Dia de todo mundo!

Cali 

You Might Also Like

23 Comentários

  1. Oi, Calíope!
    Assunto polêmico esse hehehe.
    Eu amo o artesanato, mas atualmente não conseguiria viver dele, de forma alguma. Ele ainda precisa ser muito valorizado.
    Sou formada em Administração e tenho um cargo público pela Secretaria de Educação do Estado. Mas graças a Deus sou muito feliz nos dois empregos rs.
    Ser artesã para mim é um hobby e uma forma de complementar a renda também. Adooro trabalhar com a criatividade e o artesanato faz isso por mim. =D

    Bjuuu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Ju, que sorte a sua então! Se eu fosse feliz assim no meu trabalho, com certeza manteria as outras coisas como um hobby, pois nós sempre precisamos ter um Plano B pra alegrar a vida. Mas quando a gente não é feliz, toda mudança, esforço, e dedicação vale a pena!

      Tudo nessa vida é em busca da felicidade neh?! =}

      Excluir
  2. Cali eu tô nessa vibe de largar tudo pro ar e só fazer o que eu gosto, mas a estabilidade profissional fica falando mais forte...ai ficamos nesse impasse...
    vou fazer esta tecncia que vc mostrou e depois compartilho no face.

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Quando tinha 19 anos (faz tempoooo) fiz junto com 2 amigas concurso pra escriturario BB, passamos, dois meses depois minhas colegas compraram seu primeiro carro do ano, eu desisti, abandonei a burocracia, fui taxada de louca.Meu sonho era estudar na USP, sem grana e sem base me dediquei ao máximo, enquanto trabalhava no shoping por 1 ano para pagar as aulas particulares. Passei pra historia e ganhei bolsa pra estudar quase no final do primeiro curso, Sociologia na PUC. Nesses anos sobrevivia de bolsas universitarias mirradas. terminei, fiz mestrado, continuei com o mesmo padrão de vida, lazer (um cinema por mes e festinhas dos amigos) roupas so de brechó, Fiz concurso para ensino médio, passei, casei, tive gemeos. Enquanto eles cresciam eu dava aulas no Estado, em cursinhos, e estudava com eles. Minhas colegas já eram donas de imóveis, turistas de NY, casadas com homens ricos e infieis. Aos 15 anos deles, resolvi dar a nós um presente, fiz concurso pra prof. universitário do outro lado do nosso destino - SP para PB - passei, viemos apenas com os livros e algum dinheiro. Os rendimentos me deram a oportunidade de comprar um imóvel em SP (está alugado), comprei meu primeiro carro, eles estudaram nas melhores escolas, preparei-me para o doutorado e aos 50 anos defendi minha tese em Paris. Sou uma educadora feliiiiiiiiiiz, bem sucedida (claro que sou pouco materialista)concilio a arte de dar aulas com meus artesanatos: acessorios, costurices, conheci e morei na Europa por duas vezes, moro em Joao Pessoa com qualidade de vida de frente pra o mar, tranquila sem pressa e quando minhas colegas vem me visitar, se arrependem da ganância apenas financeira que tiveram, materialmente realizadas mas....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que história incrível Beth! Fiquei impressionada, e me sinto orgulhosa por você. Ainda está jovem e já conquistou tanto! Parabéns por buscar sempre o melhor, que seja nosso exemplo!

      Ai, será que um dia também vou morar na Europa?? Que chiqueeeeee... =D

      Bjus

      Excluir
    2. Desculpa me intrometer aqui na conversa, mas... Beth, foi realmente complicado passar por tudo isso, mas valeu a pena não é mesmo?! E que legal saber que você mora em João Pessoa, eu não moro lá, mas moro próximo!Jampa é uma cidade muito linda!
      Como você disse, correr atrás apenas do lado financeiro não vale a pena. Concordo com o que Calíope disse.
      Felicidades Beth!!

      Excluir
    3. Desculpa me intrometer na conversa, mas... Beth, foi realmente complicado passar por tudo o que você passou, mas valeu a pena, não é mesmo?! E que legal saber que você morar em João Pessoa! Não moro lá, mas moro próximo. Jampa é uma cidade muito linda.
      Concordo com o que Calíope disse.
      Felicidades Beth!

      Excluir
  4. Cali, sei que tu és muito mulher pra isso, coragem de mudar radicalmente de vida. e se tiveres a oportunidade, fazes.
    meu marido é frustrado com a profissão que escolheu, e se auto-sabota o tempo todo, dizendo que agora, casado, fica mais difícil mudar. talvez seja.
    então amiga, vai em frente. não consigo te ver trancada em um laboratório de análises. é muita energia pró-ativa desperdiçada, tens espírito livre, segue...

    Ah, e não esquece de rastrear a encomenda. código na msg do face.

    bjs

    ResponderExcluir
  5. Nossa, este é um assunto bem polêmico e que está sendo muito constante em minha vida... Ah como eu queria largar tudo p/ fazer somente o que eu gosto... mas por trás disso existe tantas responsabilidades, tantas cobranças. Afinal. largar um trabalho de 10 anos por outro, ou um negócio próprio (sem garantias de renda) muitas vezes parece loucura.
    E isso tudo se torna ainda mais forte, quando o seu trabalho atual não te faz feliz.
    Que Deus nos ilumine e nos ajude a encontrar o melhor caminho!
    Amei o post!

    ResponderExcluir
  6. Amei a dica..!

    Muitos Beijos :*
    Boa Semana ")

    ResponderExcluir
  7. Oi Caliope! Eu sou funcionária pública e agora vinte anos depois, acho que me acomodei. Como passei muito aperto na vida, hoje não tenho padrão de vida alto mas é muito melhor do era e sinceramente não tenho coragem de largar, até por que aqui onde moro não dá para viver de artesanato. Gostaria muito de ter coragem de chutar o balde, porém prefiro pensar que daqui há 10 anos estou me aposentando e 10 anos passam rápido... A vida está em constante movimento e não gosto de ser taxativa e dizer que nunca farei. Quem sabe...

    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Oi Cali, concordo plenamente com o que vc escreveu, as vezes a vida vai mudando a gente vai mudando e quando vemos já não cabemos mais nos mesmos costumes. É bom a gente ter estes momento pra pensar e reavaliar o que fazemos e o que nos dá prazer!! Bjãoooooooooooo

    ResponderExcluir
  9. Oi queridas...
    Eu nunca soube exatamente o que queria ser porque queria ser tudo, entao quando acabei o ensino medio fiquei 6 meses pensando nas muitas opcoes que tinha. Nunca fui boa em escolher uma coisa so. Como gosto muito de linguas estrangeiras e literatura decidi fazer letras, mas meus pais se separaram na epoca do vestibular, entao nao fiz. Foi uma epoca terrivel.
    Minha mae me obrigou a fazer o ENEM, e algum tempo depois recebi uma correspondencia com minhas notas e sobre a oportunidade do ProUni. Fiz minha inscricao e escolhi Pedagogia porque gostei muito das disciplinas que estudaria.
    Passei muita dificuldade e recebi apoio incondicional do Eduardo, meu namorado, da minha mae e do meu irmao. Trabalhava o dia todo e estudava a noite. Enfim me formei em 2009.
    Desde 2007 sou professora, primeiro de ingles, depois regente de sala e hoje literatura, minha paixao.
    Tentei trabalhar em outras areas, mas sempre sobrava pra eu treinar pessoas.
    Apos anos trabalhando de contrato com a prefeitura passei no concurso e desde outubro sou efetiva. Fico contente com a estabilidade de ser funcionaria publica, mas meu salario nao cobre minhas despesas e eu sempre fecho o mes no vermelho.
    Fico descontente toda vez que algum aluno nao quer estudar, ou quando chegam machucados de casa, ou quando tem problemas que nao consigo ajudar.
    Nao sofro muito com indisciplina pois sou uma general em sala de aula, e tambem porque minhas aulas sao diferenciadas, e os alunos sabem que se quiserem ter coisas legais terao que se comportar.
    Minha saude tem sido prejudicada, minha paciencia vive no limite, chego cansada em casa e muitas vezes choro ate a raiva passar.
    Em 2011 resolvi fazer letras e ja estou na metade do curso, estou aprendendo frances, alemao e melhorando o portugues e o ingles. Isso sim me completa. Isso sim me realiza. Vou fazer mestrado em literatura.
    Embora minha profissao nao seja valorizada e eu sempre pense em desistir, o que me segura e o carinho dos alunos, a uniao da equipe pedagogica e a estabilidade.
    Entre trabalhar manha e tarde, estudar a noite, encontro tempo para minhas costuras e ainda consigo uma renda extra... nada melhor pra mente que fazer arte com tecidinhos coloridos...
    Eu e o Eduardo nos casamos ha 1 ano e 5 meses e ele eh o melhor companheiro que eu poderia ter, me apoia em tudo, ate em loja de tecidos ele vai comigo.
    Sou feliz, mas nao posso me acomodar, pois so eu sei o quanto quero melhorar de vida.

    ResponderExcluir
  10. Oi queridas...
    Eu nunca soube exatamente o que queria ser porque queria ser tudo, entao quando acabei o ensino medio fiquei 6 meses pensando nas muitas opcoes que tinha. Nunca fui boa em escolher uma coisa so. Como gosto muito de linguas estrangeiras e literatura decidi fazer letras, mas meus pais se separaram na epoca do vestibular, entao nao fiz. Foi uma epoca terrivel.
    Minha mae me obrigou a fazer o ENEM, e algum tempo depois recebi uma correspondencia com minhas notas e sobre a oportunidade do ProUni. Fiz minha inscricao e escolhi Pedagogia porque gostei muito das disciplinas que estudaria.
    Passei muita dificuldade e recebi apoio incondicional do Eduardo, meu namorado, da minha mae e do meu irmao. Trabalhava o dia todo e estudava a noite. Enfim me formei em 2009.
    Desde 2007 sou professora, primeiro de ingles, depois regente de sala e hoje literatura, minha paixao.
    Tentei trabalhar em outras areas, mas sempre sobrava pra eu treinar pessoas.
    Apos anos trabalhando de contrato com a prefeitura passei no concurso e desde outubro sou efetiva. Fico contente com a estabilidade de ser funcionaria publica, mas meu salario nao cobre minhas despesas e eu sempre fecho o mes no vermelho.
    Fico descontente toda vez que algum aluno nao quer estudar, ou quando chegam machucados de casa, ou quando tem problemas que nao consigo ajudar.
    Nao sofro muito com indisciplina pois sou uma general em sala de aula, e tambem porque minhas aulas sao diferenciadas, e os alunos sabem que se quiserem ter coisas legais terao que se comportar.
    Minha saude tem sido prejudicada, minha paciencia vive no limite, chego cansada em casa e muitas vezes choro ate a raiva passar.
    Em 2011 resolvi fazer letras e ja estou na metade do curso, estou aprendendo frances, alemao e melhorando o portugues e o ingles. Isso sim me completa. Isso sim me realiza. Vou fazer mestrado em literatura.
    Embora minha profissao nao seja valorizada e eu sempre pense em desistir, o que me segura e o carinho dos alunos, a uniao da equipe pedagogica e a estabilidade.
    Entre trabalhar manha e tarde, estudar a noite, encontro tempo para minhas costuras e ainda consigo uma renda extra... nada melhor pra mente que fazer arte com tecidinhos coloridos...
    Eu e o Eduardo nos casamos ha 1 ano e 5 meses e ele eh o melhor companheiro que eu poderia ter, me apoia em tudo, ate em loja de tecidos ele vai comigo.
    Sou feliz, mas nao posso me acomodar, pois so eu sei o quanto quero melhorar de vida.

    ResponderExcluir
  11. Olá menina,
    Essa reflexão no dia do trabalho está me fazendo repensar a minha vida também.
    sou técnica contábil, e quase sempre me dediquei a área de pessoal, com uma ou outra entrada na área contábil em si.
    Como atuo em departamento pessoal, tentei fazer gestão de rh, não gostei, tentei fazer direito, amei, mas precisei trancar, e hoje estou pensando em retornar, mas não sei se o direito me atrai, tenho visto tantas coisas, que me faz repensar em voltar pra área contábil ou quem sabe me arriscar na psicologia, que é um sonho de adolescente...ainda não tomei uma decisão, mas já estou com 36, há cada dia eu sinto na pele o peso da idade.
    Na vida pessoal também foi muito dificil eu dá uma virada, mas há 4 anos, eu dei fim nun relacionamento conturbado e falido de 14 anos, e recomecei um novo ciclo em minha vida...no ano passado conheci uma pessoa maravilhosa, e nos casamos, mas esse "casamento" resultou em algumas perdas pra mim.
    Nesse entretempo, também abri mão de um emprego de 8 anos, onde eu era chefe do setor, mas muito maltratada psicologicamente falando, então eu decidi que se abri mão de um casamento conturbado, também poderia abrir mão daquele emprego e começar de novo e foi o que fiz, mesmo com uma contra proposta ótima, era hora deu dá um basta naquilo tudo.
    No inicio do ano, achei que podia me dá um descanso, e aproveitar a vida em casa, como apenas dona de casa, mas já percebi que essa não é a minha praia, preciso está com a minha cabeça ocupada com prazos e metas, então estou participando de alguns processos seletivos na minha área, espero conseguir logo uma recolocação.
    Acho que falei demais, mas acho que precisamos sim fazer o que gostamos, e tentar ir em busca de algo que nos dá prazer, e se pudermos ter a oportunidade de termos uma recompensa financeira com esse prazer é melhor ainda.
    Gosto dessa parte de pessoal, acostumei, sei fazer e faço bem feito, pra mim isso é importante, mas preciso definir na minha cabeçinha se é isso mesmo que quero pro resto da minha vida.
    Que tenhamos todos um ótimo mês pela frente.
    Beijus

    ResponderExcluir
  12. Oi, Calíope! Também gostei da sua reflexão, pois muitas e muitas vezes me peguei pensando exatamente isso. Eu também estou na sou situação, e o que pretendo fazer, além de fazer o exercício que você propôs, é procurar ajuda no Sebrae. Lá eles dão uma orientação bacana para quem quer investir nesse ramo de micro empresário. Outra coisa... eu gostaria de escrever para você por e-mail, mas não sei como, se puder me escreva, tá? csoliver@gmail.com
    Um abraço, Claudia (www.costurinhadaclau.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
  13. Que vc faça boas escolhas, que viva e lide com as não escolhas ou más escolhas de maneira construtiva.
    Que o trabalho seja realização e fonte da renda necessária para pagar as contas e realizar a vida pessoal.
    Leveza, coragem e pé na tábua.

    ResponderExcluir
  14. Pois é amiga...ontem mesmo estávamos conversando dobre isso aqui em casa, pois o Rafa estava comentando que não está gostando do curso que escolheu fazer na faculdade, ai meu marido disse que ele tinha que fazer alguma faculdade que lhe desse um bom retorno financeiro e que tenha um bom mercado de trabalho e eu na hora discordei...eu disse ao Rafa que ele tinha que fazer algo que lhe desse prazer e pois se tiver um emprego que ele goste ele nem vai notar que é um trabalho e que o dinheiro não é tudo na vida, do que adianta ganhar rios de dinheiro e estar infeliz e ir trabalhar sem tesão nenhum, dinheiro quanto mais se ganha mais se gasta e não tem nada que dê mais prazer do que fazer o que se gosta.
    Sei que você é muito inteligente e tem um fofo do seu lado que te apoia e te dá suporte quando você está indecisa e com certeza você fará a escolha certa no momento certo.
    Mudando de assunto...me manda seu endereço ( não sei onde coloquei )novamente que quero te mandar "algo" ok?

    bjus

    ResponderExcluir
  15. Boa sorte na busca da sua felicidade! Espero também conseguir trabalhar em algo que eu gosto muito, sem deixar de lado minha família e este lugarzinho que tanto amo que é minha cidade! Eu amei a "brincadeira" então com certeza vou fazer. kkk... Bjkas.

    ResponderExcluir
  16. Eu era servidora pública (16 anos) e decidi mudar. Larguei tudo, fui taxada como louca e estou recomeçando do zero, literalmente.
    Mudar dói, é difícil. Tive e tenho o apoio do marido e do filho nesse novo caminho.
    Não me arrependo de largar tudo e recomeçar, mas confesso que diariamente recebo um baque do próprio mercado de trabalho. Estou com 41 anos e já sou considerada "velha". Mas não deixo a peteca cair!
    Siga seu coração!
    Bjoks

    ResponderExcluir
  17. Belo texto. Totalmente identificada. Ainda trabalho no tradicional, mas amo artesanato. Seria muito bom ter uma renda pra viver confortavelmente de artesanto, mas ainda não dá. Estou no momento do planejamento, para no futuro quem sabe....Obrigada! Teu espaço é excelente. Parabéns.

    ResponderExcluir
  18. Ola gente,
    Nunca me preocupei muito com o fato de saber o que querer fazer da vida, mas agora com 28 anos, sempre tenho essa pergunta martelando na minha cabeca. Acho que o diagrama acima e boa oportunidade de colocar as ideias no papel e comecar um plano: "onde voce quer estar em 5 anos?"
    Um abraco a todas e boa sorte !

    https://www.bonitiful.com

    ResponderExcluir

Comenta pra mim, vai... só um comentariozinho!!! ^^

Subscribe