Mais um gatinho... O que eu faço?

sexta-feira, setembro 13, 2013


Todos os dias esse gatinho miava ao meu chamado, se enroscava em minhas pernas, pedia comida e carinho. Todos os dias ele me trazia mais um pingo de felicidade e me lembrava do quão minha vida é importante e de como eu podia ajudar com tão pouco e se sentir tão bem com isso. Esse gatinho, que ganhou de outra pessoa o nome de Harrisson, vive no bairro onde eu morei por um ano e me mudei mês passado. Ele era como o meu raio de sol, chegando todos os dias pra animar meu dia.

Lá nesse bairro tem muitas casas antigas e dezenas de gatos que pertencem a essas moradores mas que vivem nas ruas e sequer são alimentados. Então eu deixava todos os dias, em minha porta, ração e água, e muitos gatinhos apareciam pra se alimentar. De todos que vinham esse foi o que mais se aproximou da gente. Ele se sentia em casa, demarcava o território inteiro em volta do nosso terraço e tomou conta daquele espaço de um jeito que depois de um tempo parecia viver lá. Já fazia parte da família.

Esse gatinho ainda não é castrado, sofre muito porque é muito dócil e sempre se dá mal nas brigas com outros gatos, tanto que vive com ferimentos pelo corpo e até já perdeu um olho. Esse gatinho é um amor! E eu decidi cuidar dele, castrar, adotar... Já alimentava e cuidava dele no terraço, limpava seu olhinho. Ele não tem um dos olhos e por isso sempre tem secreção, e ele ama quando eu limpo pra ele. Adora ficar no meu colo, e receber afagos. Então decidi adotá-lo quando me mudasse.

Porém nem tudo são rosas!

Uma semana antes da mudança eu coloquei ele pra dentro de casa, pois meus gatos tem criação indoor, vivem em apartamento com telas de segurança e não acessam a rua. Coloquei ele em casa, e ia levá-lo pra castrar. Em um dia, esse gatinho fez xixi na minha casa inteira, pois como ele vive nas ruas e não é castrado, eles tem o instinto de demarcar o território com urina, mas ele faz isso muito. E sua urina tem um mal cheiro terrível! De uma forma que ficou impossível impedi-lo ou limpar de forma eficiente. E o cheiro da casa ficou insuportável. Além disso o gatinho não se adaptou muito bem a vida preso, ficou irritado, e muito agoniado, pedindo pra sair e brigando com meus gatos (eles sempre se deram muito bem).

Eu achava que após a castração isso poderia parar, mas pesquisando na internet descobri que não pára, apenas diminui, pois como ele já é um gato adulto isso já virou um costume (será?). Minha esperança é que com a castração isso se resolvesse e ele ficasse bem, em casa conosco. Ainda não o levei por questão de logística, horários, mas essa é a intenção.

Não pude levar ele na mudança comigo, mas no dia seguinte eu fui lá e ele ficou a tarde inteira no meu colo, já entendendo a minha partida, e quando eu saí por um minuto ele miava (quase gritava)... Isso parte o meu coração! Não posso deixá-lo lá, vivendo numa avenida movimentada, entregue a própria sorte, e agora com fome, já que não terei ninguém que possa alimentá-lo no local.

Mas ao mesmo tempo, como posso resolver todos esses problemas? Será que ele vai se adaptar a viver preso num apartamento pequeno? Será que eu não estaria tirando a liberdade dele, o costume de viver onde vive em troca de comida, água, carinho e conforto? Será que ele tem dona? Se viveu a vida inteira lá, como ele vivia? Será que a vida dele não é lá mesmo? Será que com o tempo ele deixaria de fazer esse xixi tão fedorento pela casa inteira? Moro em um apartamento de mais ou menos 50m², com o fofo e 4 gatos... e com ele seriam eu, o fofo e 5 gatos. No meu coração cabem mais 500 gatinhos, mas a minha casa é muito menor que o meu coração. E eu passo o dia inteiro fora, não tenho como ficar limpando ou controlando isso. =\

São muitas dúvidas, mas uma única certeza, de que eu amo esse gatinho como amo todos os outros, e que estou morrendo de saudades esses dias que estou longe, e só penso em como ele está "se virando". Minha irmã que ainda mora lá está colocando a comida pra ele, mas ela vai se mudar daqui há uns dias e eu preciso decidir o que fazer. Se resgato esse gatinho, castro e enfrento todas essas dificuldades, ou se é melhor que ele fique no bairro onde sempre viveu, e viva como vivia antes (sabe lá como!).

Mas será que resgatando estou realmente fazendo um "bem" ao bichinho? Será que com a minha rotina corrida, com o espaço tão pequeno pra eles ele vai realmente estar mais feliz comigo? Será que eu vou conseguir contornar esse problema enorme do xixi? Não posso ser expulsa de mais um apartamento, já que moro de aluguel, nem ficar me desentendendo com o fofo por causa dessa questão, que realmente trás um mal estar enorme pra nossa casa. Não sei o que fazer... 

Gostaria mesmo que todas as pessoas do mundo pudessem resgatar ao menos um animalzinho, que ninguém mais comprasse animais em pet shops, que as pessoas entendessem que eles não se viram nas ruas, e que todos os animais deveriam ser castrados. Gostaria de morar em uma casa enorme e não ter esses pequenos problemas, pra que na minha casa coubessem tantos animaizinhos quanto cabem no meu coração. Mas nem tudo é que como a gente gostaria! Mesmo assim sei que fazer um pouco é algo muito bom, e melhor se todos pensassem assim! Não posso salvar todos sozinha... Quantos gatos posso ter em 50m²? rsrs

Se você tem gatinho e alguma dica pra me dar, fique a vontade... Se você não tem gatinho mas entende a situação, como leitora e amiga, o que você acha? Gostaria muito de saber a opinião e experiência de vocês. Pois preciso decidir logo o que farei diante dessa situação!

Acho que estou virando "a louca dos gatos"... rsrs

Cali 

You Might Also Like

18 Comentários

  1. Que linda sua atitude de se preocupar com os bichinhos, eles merecem muito, eu se pudesse criava muitos.

    ResponderExcluir
  2. Querida, entendo perfeitamente sua angustia..., eu sou bem assim também!!! E vc não é louca não viu, porque se for, somos juntas..kkkk. Eu sou daquele tipo que pensa até em parar de sair na rua porque toda vez que sai, vê um bichinho lindo e abandonado começa a abrir a boca de tanto chorar, fica mal o dia inteiro, ai, é duro, é sofrido ser assim...
    Eu tenho uma gatinha linda, que amo mais que tudo nessa vida e vou adotar mais uma, só que filhotinha. O problema do Harrison é que ele já está adulto, de fato já está acostumado a rotininha dele...No meu caso, como eu tenho apenas uma e ela é a rainha do lar, eu terei que pegar pequeno para não dar ciumes. No seu caso, vc tem outros gatinhos então fica mais fácilo a convivencia, não dá tanto ciume. Eu, sinceramente, faria o seguinte: tenta!! Castre ele primeiro e se der certo, ótimo. Se não der certo, vc tentou, castrou, o que é mais importante para nçao fazer filhotinhos por ai, o que já ajuda e muito a vidinha dele e de todos os outros que poderiam vir e ficar abandonados. Portanto, acho que vc deve tentar pós castração. Se não der certo, vc tentou. Pena que não moramos perto né, eu te ajudaria a levá-lo no veterinário, etc, pois como estou em casa estudando para concursos, tenho um pouco mais de horário livre.
    Gatinha querida, tente...tente sempre, e se não der certo pense que vc já fez muito por ele!! Bjos no coração..

    Ale

    http://odivinopano.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Cara Calíope, sempre acompanho seu blog, nunca comentei antes, mas como amo gatos, não pude resistir! Eu e meu marido tivemos 8 gatos e 2 cachorros em um apartamento durante 1ano, até nos mudarmos para uma casa com quintal. Todos os gatos eram castrados e não tínhamos problemas com a maracação de territorío. Quando nos mudamos para a casa, tudo mudou, eles começaram a fazer xixi em tudo, tudo mesmo, na minha torradeira que ficava na bancada da cozinha, no filtro, na cabeceira da minha cama, e um deles fez em cima do meu marido enquanto ele dormia! Hoje eu consigo rir da situação, mas foi um período muito difícil! Quando eu engravidei, decidimos que os gatinhou viveriam no quintal, cercamos todo o terreno com uma tela bem alta para que eles não fugissem, como o quintal era grande, eles viviam bem, mas era impraticável usarmos o quintal, pois tudo tinha xixi! Já se passaram 8 anos, e hoje moro novamente em um apartamento, e dos 8 gatos só a mais velha e a única que não fazia xixi, está comigo até hoje, tenho uma nova gatinha que adotei há pouco tempo, e não tenho mais problemas com marcação de território! Pela minha experiência, creio que é bem possível que o gatinho não melhore seu comportamento, como também leve os seus outros gatos a adquirirem este tipo de comportamento tb! Sinto dizer isso, sei como é amar essas fofuras! Um grande abraço, Juliana Moura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju, e o que tu fez com os outros gatos??? oO

      Excluir
    2. Tipo, só restou a gatinha... e os outros? Foram adotados?

      Excluir
    3. Oi Calíope! Vi que vc ama muito este gatinho! Eu já resgatei muitos gatos da rua e preparei para adoção, o primeiro passo é castrá-lo e ter ele separado dos outros gatos (pode ser um banheiro pequeno, um quarto ou alguma parte externa com grades. Sem castrar ele irá ficar muito mal de ânimo e pode brigar feio com os outros gatos, até machucar sem querer além de ficar com muito stress e desespero em sair pra rua. Os gatos castrados de qualquer idade perdem os hormonios e ficam mais doceis, pelo que vc fala se ele tem dono este não liga muito pra ele, pelo que vc diz ele tem uma personalidade doce pode ser que fique um pouco ofendido com vc por não pode passear mas com o tempo ele acostuma. Vc pode dar florais (formula emergencial de Bach pedir para animais que é diferente o preparo) para ele tomar no potinho de agua e jogar um pouco no ambiente onde ele estará provisoriamente para que ele possa relaxar e adaptar-se à uma nova vida.Outra opção é usar o felineway o hormonio felino sintetico de bem estar jogando no ambiente ou colocando ligado na tomada, isso relaxa e faz com que se adapte. Depois que ele estiver castrado e mais tranquilo vc irá preparar o ambiente onde vc vive para que ele se adapte ao grupo de gatos que vc tem, convem antes de levar o novo gatinho para o grupo colocar o mesmo floral ou feliway no ambiente para que ele possa ir adaptando-se. Convem antes de levar o novo gatinho ao grupo colocar coisas dele no local para que os outros vejam, sintam o cheiro. Faça o mesmo com o novo gatinho coloque coisa dos outros quando ele estiver mais adaptado, para que ele vá conhecendo os novos amigos haha.
      Se vc quiser prevenir faça testes de doenças mais graves no novo gatinho antes de inserir ao grupo.
      Não se preocupe os gatos são seres que se adaptam facilmente e com seu amor tudo ficará bem. Faça tudo de acordo com o que o novo gatinho irá ditando ao ritmo dele.
      Se necessitar de ajuda entre em contato comigo. Um bom veterinário também poderá ajudá-la.

      Um grande abraço, Carol

      Excluir
    4. Oi Calíope! Vi que vc ama muito este gatinho! Eu já resgatei muitos gatos da rua, o primeiro passo é castrá-lo e ter ele separado dos outros gatos (pode ser um banheiro pequeno, um quarto ou alguma parte externa com grades. Sem castrar ele irá ficar muito mal de ânimo e pode brigar feio com os outros gatos, até machucar sem querer além de ficar com muito stress e desespero em sair pra rua. Os gatos castrados de qualquer idade perdem os hormonios e ficam mais doceis, pelo que vc fala se ele tem dono este não liga muito pra ele, pelo que vc diz ele tem uma personalidade doce pode ser que fique um pouco ofendido com vc por não pode passear mas com o tempo ele acostuma. Vc pode dar florais (formula emergencial de Bach pedir para animais que é diferente o preparo) para ele tomar no potinho de agua e jogar um pouco no ambiente onde ele estará provisoriamente para que ele possa relaxar e adaptar-se à uma nova vida.Outra opção é usar o felineway o hormonio felino sintetico de bem estar jogando no ambiente ou colocando ligado na tomada, isso relaxa e faz com que se adapte. Depois que ele estiver castrado e mais tranquilo vc irá preparar o ambiente onde vc vive para que ele se adapte ao grupo de gatos que vc tem, convem antes de levar o novo gatinho para o grupo colocar o mesmo floral ou feliway no ambiente para que ele possa ir adaptando-se. Convem antes de levar o novo gatinho ao grupo colocar coisas dele no local para que os outros vejam, sintam o cheiro. Faça o mesmo com o novo gatinho coloque coisa dos outros quando ele estiver mais adaptado, para que ele vá conhecendo os novos amigos haha.
      Se vc quiser prevenir faça testes de doenças mais graves no novo gatinho antes de inserir ao grupo.
      Não se preocupe os gatos são seres que se adaptam facilmente e com seu amor tudo ficará bem. Faça tudo de acordo com o que o novo gatinho irá ditando ao ritmo dele.
      Se necessitar de ajuda entre em contato comigo. Um bom veterinário também poderá ajudá-la.

      Um grande abraço, Carol

      Excluir
    5. Muito obrigada pela dica... vou procurar esse produto! ;)

      Excluir
  4. Cali, eu não tenho gatos por que meu marido não é chegado.Mas adotamos juntos 2 caes,os dois ja castramos.E passo o mesmo que vc cada vez q vejo um bichinho abandonado.Mas nem sempre querer é poder.No seu caso acho que uma tentativa seja válida e só de castrar já é uma baita ajuda,pq não terão mais filhotinhos por aí sozinhos.Quanto mais bichos castrados,melhor.Enfim,boa sorte,se conseguir ou não vc tentou!! Bj =]

    ResponderExcluir
  5. Cali,

    Entendo você em todos os sentidos. É dolorido demais ver o bichinho nessa situação ainda mais que ele te retribui todo o amor que você passa para ele. Eu penso assim, você gostaria de adota-lo, mas pelo que percebo será muito difícil para vocês dois. Pelo que 'eu' sei, gato acostumado na rua não fica dentro de casa, nem castrado. (quanto menos em uma apartamento pequeno, sozinho o dia todo). Tem seus outros bichinhos, o que pode causar sofrimento para ele e para os outros. Tem mais o fato do apê ser pequeno, o 'fofo' e o xixi... Acho que o melhor que você pode fazer por ele é encontrar alguém que tenha uma casa tão grande quanto seu coração e que possa adota-lo. E ainda assim pode ser que ele nem fique no local, mesmo bem cuidado devido estar acostumado a sua própria rotina. Espero ter ajudado de alguma forma.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Calíope, eu já criei muitos gatos e ainda crio e leio muito sobre o assunto. Acredito que se você se informar sobre com um especialista da área, ele possa te ajudar. Acredito que existem formas de readaptar um animal e a família que irá recebe-lo. Você se questiona se é cruel tirar a liberdade dele em troca de um lar. Eu tive a mesma dúvida quando me mudei com meus gatos, ainda filhotes, de um lugar com quintal grande para um apartamento pequeno. Me sentia péssima por eles, achando que estava roubando seu direito a liberdade. Eu nunca havia criado gatos em apartamento e os crio de modo indoor também. Até que um dia li sobre a responsabilidade de ser um protetor animal. O texto dizia que protetor responsável é aquele que cria o gato dentro de casa, como fazemos. Eu parei de me criticar, principalmente após ler sobres doenças que um gato que mora ou visita a rua pode pegar. Esse gatinho é adulto, mas aceita seu colo. Isso é um grande indicativo de que se for educado de forma correta, ele pode vir a ser tornar dócil com os outros gatos e parar de demarcar. Não será fácil, mas você estará salvando a vida dele, pois uma vez que more na rua, ele pode sofrer todo o tipo de coisa, além da fome. Com a deficiência de um olho ele precisou ser agressivo em certos momentos. Se adaptar sua casa para recebe-lo, com prateleiras no alto e outras coisas que permitam os gatos a terem seu pequeno espaço para controlar, as chances da demarcação parar são boas. Esse gatinho pode vir a se acostumar a nova rotina e creio que isso seria muito importante para ele. E no ruim de tudo, se não der certo, pode ver a adoção dele para outra pessoa. Te desejo boa sorte e que seja o que for que decida, siga em paz.
    Ainda achando que o gatinho merece uma chance, segue o link de um artigo sobre o assunto. A Cão Cidadão também trabalha com adestramento e talvez possam te ajudar. Nesse site tem ótimos artigos sobre criação de gatos que podem te ajudar também.
    www.caocidadao.com.br/artigo/introduzindo-um-novo-gato-ao-grupo/
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Cali, já peguei um gatinho da rua, e ele nem era adulto ainda, mas nunca esqueceu dos seus hábitos antigos, tipo roubar carne da pia vizinho hihihi, passei por isto duas vezes, ainda bem que eles entenderam, menos meu padrastro que levou ele embora sem a gente saber, enfim , eu acho que você deve tentar primeiro, castra-lo e ficar na sua casa, senão der certo, solte ele no seu novo bairro, quem sabe ele se acostuma com o novo local, assim vocês poderão se ver todos os dias ainda, boa sorte amiga, se ele não sai do seu pensamento e do seu coração, lute por ele! beijoss

    ResponderExcluir
  8. Ai amiga que triste essa história do gatinho. Como as pessoas fazem isso meu Deus? Mas olha, é como a minha mãe diz: não tente tomar todas as dores do mundo pra si, porque senão você sucumbe e aí não vai dar nem pra cuidar dos seus! Cabeça fria nessa hora. Obrigada pela tua visitinha lá no blog, pois é, estou aproveitando meu tempo em casa pra atualizar e matar as saudades de todo mundo, claro. Amanhã vou fazer um post respondendo algumas perguntinhas das amigas e sobre as suas sugestões (ou pitacos, como disse e eu adoro) amei todas e claro que na maioria acatarei com prazer, afinal, você é minha gurua nesse assunto de cores, lembra? Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Calíope,
    Surpresa com meu comentário? Imagino que sim. De vez em quando visito seu blog por ser interessante e me deparei com a estória do Harrison... Muita saudade dele, mas infelizmente na minha situação eu não podia fazer nada.
    Sobre sua pergunta se ele tem um dono, bem, mais ou menos. Não sei se ela se mudou já, mas era a vizinha, a casa que fica do lado do salão de beleza. Mas quando ela viu que eu estava tratando dele já foi logo dizendo que não tinha condições de criá-lo e, pouco antes de eu ficar ruim ela me disse que estava se mudando e iria deixar Harrison lá. Não sei realmente se isso aconteceu.
    Sobre a castração, a urina some sim. Mas realmente as brigas levam tempo. Sugiro Catnip, ou sprays com um cheiro que acalma. Ou converse com um veterinário.
    Enfim, é isso. Estou muito feliz que vc cuidou do Harrison, mesmo. e espero sinceramente que consiga ficar com ele.

    Nathalia

    ResponderExcluir
  10. Calíope tudo bem? Vc ficou com o Harrison?

    ResponderExcluir
  11. Olá Caliope! O peguei um gatinho de rua para cuidar, alimentar e dar carinho do meu quintal, e qdo estava prestar decidi que ia levá-lo, mesmo correndo esse risco de não se adaptar com os meus outros 2 gatinhos...
    Qdo estava preparando tudo para levá-lo na última semana, fiquei rezando mto a Deus para me dar uma luz, se ia se bom para todos, inclusive para ele levá-lo. Ai no último dia na casa antiga eu estava alimentando-o qdo apareceu uma mulher no meu portão (que nem sabia que eu ia mudar) e falou q era dona dele e o levou. Percebi que era dona dele mesmo pois o chamou pelo nome e ele atendeu.
    Então acabei não levando ele, mas com certeza levarei, mesmo com todas as dúvidas, medos e inseguranças que enchia minha cabeça.
    Mas a resposta está dentro do nosso coração flor, é Deus falando conosco....
    E ai qual atitude vc tomou? Já tomou uma?
    Volta pra contar pra gente.
    Boa sorte!
    Beijos
    Kizzy
    www.donakizzy.com.br

    ResponderExcluir

Comenta pra mim, vai... só um comentariozinho!!! ^^

Subscribe